domingo, 20 de maio de 2012

Inseminação Artificial

Bom Dia Pessoal!

Quero falar sobre um assunto que tenho pesquisado bastante.
Depois de algumas postagens vou explicando.....
Bjus!


INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL

Não sei ainda, mas, pode ser que eu e meu esposo tenhamos que utilizar deste método.

1º O que é a Inseminação Artificial?
A Inseminação Artificial, também conhecida como inseminação intra-uterina é a colocação de forma artificial do sêmen no interior do útero da mulher. 
Mas, para isso, a mulher não pode ter ligadura de trompas, nem problemas com a produção de óvulos.

2º - Só existe esta maneira de se fazer a inseminação artificial?
Há dois tipos de inseminação artificial: a inseminação artificial intracervical (IC), em que o esperma é inserido no cérvix (colo do útero); e a inseminação artificial intrauterina (IU), em que o esperma é inserido no útero.
 - Na inseminação artificial intracervical, o esperma é injetado no cérvix (colo do útero) através de uma seringa. Esse método reproduz a forma como o esperma é depositado pelo pênis, no cérvix, no momento da ejaculação. Os espermatozoides passam por um “tratamento”, no qual somente os que estão aptos a fertilizar permanecem. Feito isso, os espermatozoides são depositados diretamente no útero.
- A inseminação artificial intrauterina tem algumas vantagens sobre a inseminação artificial intracervical, porque nesse tipo de inseminação não é necessária a presença de muco cervical, importante para a migração dos espermatozoides até o óvulo. Outro fator vantajoso é que na inseminação artificial intrauterina, como os espermatozoides são inseridos além do colo do útero, aumentam-se as chances de fecundação, pois haverá um maior número de espermatozoides aptos na cavidade intrauterina.

3º Qual é a técnica melhor?
A IntraUterina é a mais comum e praticada. Também a mas simples e próxima do processo natural. Todavia, para o casal receber esta forma de tratamento, a mulher deve apresentar tubas íntegras e o homem, no mínimo 5 x 106 espermatozoides móveis.

4º Como é o processo da Inseminação IntraUterina? 
- É feita uma seleção e concentração dos espermatozóides móveis. As amostras são preparadas atravéz das técnicas de capacitação seminal.
- Uma vez devidamente estudado o casal e indicada a inseminação artificial, o tratamento começa com a estimulação controlada dos ovários.
- Essa estimulação pode ser feita de diversas maneiras, com medicamentos administrados por via oral ou via intra-muscular. Podem ser iniciados no 2º dia da menstruação e se estender por 5 a 10 dias, de acordo com o esquema utilizado.
- Durante todo esse período, o crescimento dos folículos ovarianos é acompanhado cuidadosamente através da ultra-sonografia pélvica endovaginal. Normalmente, espera-se um crescimento de 2 a 4 folículos durante esse período. Quando pelo menos um dos folículos ovarianos atingir 18 milímetros ou mais de diâmetro, administra-se o hCG para completar o amadurecimento dos oócitos e induzir a ovulação.
- Aproximadamente 36 horas após a administração do hCG, solicita-se a colheita dos espermatozóides por masturbação. Este sêmen será tratado no laboratório com o intuito de separar os espermatozóides mais competentes para a fertilização, descartando-se células com defeitos, espermatozóides mortos e outras substâncias que não devem ser transferidas para o útero.
- Terminado o preparo do sêmen e com o auxílio de uma cânula especial, os espermatozóides serão transferidos diretamente para o interior do útero da paciente. Com a pressão empregada durante a transferência e a oclusão da saída do colo uterino, espera-se que os espermatozóides penetrem nas tubas uterinas e atinjam o local da fertilização.
- O embrião ou embriões formados serão transportados pela tuba até a cavidade uterina onde ocorrerá a implantação e o desenvolvimento da gravidez.
No momento que a mulher é inseminada não é necessário nenhum tipo de anestesia. A mulher geralmente é inseminada por 2 dois dias seguidos, depois de se ter induzido a ovulação.
Cada vez que se repete o processo, terá de ser fornecido ao laboratório uma nova amostra seminal.
É recomendado que, após ser depositado o sêmen no útero,  mulher permaneça durante 30 min. em repouso.

5º Tem alguma recomendação para mulher?
Durante duas semanas é nescessário evitar relações sexuais, praticar desporto, evitar estar de pé durante horas seguidas e evite também fazer viajens prolongadas. deve procurar aumentar as horas de repouso diárias, sentada ou deitada. No que diz respeito à alimentação, esta deve ser equilibrada e deve alimentar-se de 3 em 3 horas, ingerindo também 1,5 Litro de água por dia. 
 Ao nível da medicação pós-inseminação será receitado em antibiótico profilático, ácido fólico (para protecção contra defeitos do sistema nervoso de feto).


6º Sempre da certo? Quais os riscos?
A taxa média de gravidez por ciclo de inseminação artificial é de 25%. 
Risco de saúde com a Mulher ou o homem não tem nenhum.
A indução da ovulação conduz por vezes ao desenvolvimento de vários óvulos, o que aumenta o risco em 15-20% de gravidez múltiplas (gemelares - mais que um bebê). 
Tem o índice também de 15% terminarem em situação de aborto.

7º São raros os casos de inseminação?
Com certeza não! Esta realidade constitui-se como um problema cada vez mais comum, sendo resultado de factores internos ou de contributos inconscientes do ser humano afetando homens e mulheres.

8º - O que é Infertilidade Feminina?
Infertilidade feminina é a incapacidade temporária ou permanente de conceber um filho ou levar uma gravidez a frente até o momento do parto.

9º - O que é Infertilidade Masculina?
Infertilidade masculina é a incapacidade de engravidar a parceira após 01 ano de relações sexuais frequentes e sem uso de nenhum tipo de proteção.
Importante: INFERTILIDADE NÃO É ESTERILIDADE. Só constatado esterilidade caso ja forem utilizados todos os métodos de engravidar e não obter nenhum resultado.

10º Quais são as causas da infertilidade masculina?
- As condições mais freqüentes associadas à infertilidade masculina podem ser divididas entre problemas na produção do espermatozóide e problemas no caminho destes espermatozóides até o óvulo.
- No primeiro grupo estão doenças da hipófise, da tireóide ou da supra-renal (todas são glândulas que produzem hormônios necessários para a produção do espermatozóide); traumas ou problemas congênitos dos testículos; problemas provocados pelo uso de medicamentos, agrotóxicos ou irradiação do testículo; ou varicocele (varizes nas veias do testículo).
- No segundo grupo estão os distúrbios de ejaculação, alguns distúrbios do sistema imunológico (que em alguns casos podem destruir os espermatozóides produzidos pelo próprio organismo), alterações congênitas ou cistos das vesículas seminais, obstruções por malformação congênita, por cirurgia de vasectomia, ou por cicatrizações de infecções no local e ejaculação retrógrada (que pode ser devido a acidentes ou, principalmente, a cirurgias da próstata).

11º Infertilidade tem haver com idade?

O envelhecimento provoca alterações que geram redução da produção de espermatozoide e de esperma, da mesma forma que ocorre com a mulher, e que conhecida como a famosa menopausa.Entretanto, a menopausa ocorre em torno de 40 ou 50 anos, enquanto a redução de fertilidade masculina ocorre a partit de 70 anos de idade.
Um detalhe deve ser colocado: é o fato de que os homens a partir desta idade não devem ser considerados inférteis, pois lhes é possível gerar um filho, uma vez que basta um único espermatozóide, desde que tenha forma e motilidade adequados, para fecundar um óvulo.


12º Além do modo convencional e da inseminação artificial, existe algum outro método de engravidar?
- Existe a Fertilização in vitro, conhecida também como "bebê de proveta". Nesta técnica, o médico coloca o sêmen em contato com o óvulo dentro de um tubo de vidro, no laboratório, sendo aí realizada a fecundação. Após já ter sido fecundado, o óvulo é recolocado dentro do útero da mulher.
- Ou ainda a ICSI. Está é a técnica mais cara e complicada, somente realizada em casos graves, de homens com esperma excessivamente pobre em espermatozoides. O médico insere o espermatozoide dentro do óvulo, utilizando um microscópio. Estes espermatozoides são obtidos por aspiração do local no testículo no qual os espermas ficam armazenados, ou ate mesmo por uma biópsia do testículo. Após a fecundação, o óvulo é recolocado dentro do útero, como na fertilização in vitro. 

13º - Pode ser com sêmen de outro pessoa?
É permitido utilização de sêmen de um terceiro doador, quando, segundo conhecimentos técnicos-científicos existentes, não possa obter-se gravidez do parceiro que viva em união de fato com a mulher a inseminar.
E no caso de sêmen de doador, a doação deve ser criopreservada (ou seja, congelamento a temperaturas criogenitas)

14º Como funciona a ereção?
A ereção peniana e a ejaculação são processos complexos que dependem da ação conjunta de diversas áreas do corpo humano. É necessário um bom funcionamento do cérebro, para sentir a excitação e comandar todo o processo, um bom funcionamento dos nervos responsáveis por transportar os estímulos e as ordens cerebrais envolvidos na ereção, uma produção adequada de hormônios (substâncias produzidas pelo organismo e que provocam algumas ações ou acontecimentos específicos no corpo humano), assim como uma integridade do tecido erétil do pênis (este tecido consiste de pequenos tubos, como uma rede de mangueiras, que normalmente permanecem vazias e murchas, e que se enchem de sangue durante a ereção, provocando o aumento verificado no pênis). Da mesma forma, é necessário que os vasos sanguíneos, canais que transportarão o sangue até este tecido erétil, estejam funcionando bem. Outros fatores, como drogas, cigarro, álcool, excesso de exercício físico, ansiedade, stress, depressão e/ou alguns medicamentos também interferem neste processo, alterando de forma significativa o desempenho sexual do homem. Assim, mesmo que ele sinta desejo sexual, algumas vezes a ereção pode falhar por problemas com qualquer dos mecanismos relacionados acima.


15ª O que são e pra que servem o esperma e os espermatozoides?
O esperma é composto basicamente por secreções da vesícula seminal e da próstata. Os espermatozóides são responsáveis por apenas 1% da composição total do esperma, mas as outras secreções são necessárias para protegê-lo. Existe uma quantidade mínima de esperma ideal para neutralizar a acidez da vagina e, assim, impedir que os espermatozóides morram ao caminharem em direção ao útero. Por este motivo, um volume de ejaculação inferior a 1,5 ml pode ser insuficiente para provocar esta neutralização, prejudicando a fertilidade. 
Este volume pode estar reduzido por uma série de motivos, como o refluxo do esperma para a bexiga (ao invés de descer para o canal uretral), a vesículas seminais ausentes ou com problemas, deficiência de produção dos hormônios masculinos, que estimulam a produção do esperma. O volume elevado de esperma também pode prejudicar a fertilidade, pois havendo mais secreções da vesícula seminal e da próstata, a concentração de espermatozóides pode estar muito reduzida, prejudicando a fertilização.
A quantidade de esperma em cada ejaculação depende principalmente do tempo de abstinência entre 2 ejaculações. Pode variar de 1.5 a 5 ml após um período de 36 a 48 horas de abstinência. Dentro destes limites, não há interferência no grau de fertilidade.

16º O que é o Espermograma?

O exame realizado para avaliar a qualidade do esperma (denominado sêmen) do homem. Neste exame, se avaliam o volume de esperma e a quantidade, a qualidade e a capacidade móvel dos espermatozóides nele contidos. Para realizá-lo, o homem deve permanecer durante 2 ou 3 dias em abstinência sexual. O volume mínimo a ser examinado é 2 ml. A concentração mínima necessária para ocorrer a fecundação é 20 milhões de espermatozóides por um mililitro de esperma. Quando o valor for inferior, a probabilidade de fertilização fica comprometida, mas a fecundação ainda pode ser realizada através das técnicas de beneficiamento de sêmen e de fertilização assistida.

17º Como sei qual é o espermatozoide certo?- Beneficiamento de sêmen: é a técnica usada para selecionar os melhores espermatozoides, que serão usados na fecundação. É como se você colocasse os espermatozóides para apostar uma corrida (colocando o esperma em uma bacia com água) e selecionasse para a fecundação apenas aqueles que chegassem em primeiro lugar. 




Principais fontes que utilizei para pesquisa:
http://bebes.kazulo.pt/5952/inseminacao-artificial---tudo-o-que-precisa-saber.htm
http://www.brasilescola.com/biologia/inseminacao-artificial.htm
Setor Integrado de Reprodução Humana da Unifesp


7 comentários:

  1. Muito interessante , vale a pena ler inteiro isso pode realizar sonhos de varias pessoas que não consguem ter filhos pelo modo convencional, parabens Raquel bjus

    ResponderExcluir
  2. Muito legal o que você escreveu.
    Fica aí uma dica para pessoas que gostariam de saber um pouco mais sobre o assunto.
    http://www.clinicadereproducaohumana.com.br/category/inseminacao-artificial-categoria/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Dr. Gilberto!

      Fiquei muito felíz com sua participação ao blog.
      Seja muito bem vindo e volte sempre!

      Indicadíssimo o link acima. Tem muitas informações legais e úteis!!!!

      Abraços!!!

      Excluir
  3. Aproveitei para exemplo de trabalho escolar !
    Muito bom !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Hyrlla! Seja bem vinda ao Blog!

      Fico feliz da matéria ter sido tão útil.

      Volte sempre que quiser!

      Bjus!

      Excluir
  4. Muito legal tudo isso minha Cirurgia esta agendada para o dia 27/08

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paty!

      Muitiiiisimo legal!!! rsrsrs

      Boa Sorte com a sua cirurgia!!!!

      Que Deus esteja com vc nesta data que está prestes a chegar.

      E voce se tornar uma futura magrela linda kkkkkk (que é assim qu me sinto).

      Seja muito bem vinda ao blog!

      Bjus!!!!

      Excluir